Mário Matins: Mulher é morta à tiros neste sábado em São José do Egito

ALEPE

domingo, 10 de julho de 2022

Mulher é morta à tiros neste sábado em São José do Egito


Foi morta com arma de fogo, a jovem  Géssica Priscila Maciel, iria fazer 33 em agosto, natural de Jaboatão dos Guararapes, mas residia há muitos anos na zona rural de São José do Egito, Sítio lagoa do Mato, perto de Curralinho, era casada e deixou dois filhos. De acordo com informações colhidas pelo blog do Marcello Patriota, segundo relatos do esposo, na madrugada desse sábado (09) por volta de meia noite e meia, escutaram barulho dos cachorros e a esposa saiu com uma lanterna, o esposo não saiu de casa, pois estava jurado de morte, o mesmo responde por homicídio, relatou para a Policia que escutou tiros,  gritou para os vizinhos chamarem a polícia. Ao chegar a PM se deparou com o corpo de Priscila caído no terreiro da casa no chão, com dois disparos  de arma de fogo nas costas.

O companheiro dela, que estava cumprindo pena em regime aberto a cerca de 6 meses, por crime de homicídio, é o principal suspeito do assassinato da jovem, ele foi detido e conduzido ao plantão da delegacia regional de Afogados da Ingazeira, porém, nega a autoria do crime e afirma que alguém foi para mata-lo e acabou vitimando Jéssica Maciel. Segundo a Polícia Civil, o crime está sendo investigado para apurar a verdadeira autoria, se for comprovado que o companheiro foi mesmo quem matou a companheira, será caracterizado um feminicídio, se não for, o caso será julgado como homicídio. O IC (Instituto de Criminalística), fez a perícia no local do crime, porém não ficou claro ainda, se foi mesmo o companheiro da vítima, que a matou. o corpo da jovem foi encaminhada para o IML de Caruaru. Ainda não há informações sobre velório e sepultamento.

A Polícia Civil realizou no suspeito um exame residuográfico, que pode detectar se na mão dele, tem material que é liberado quando se atira com uma arma de fogo. Não tem prazo de quando o resultado será divulgado. Um vizinha do casal também foi ouvida pela Polícia, mais ela não acrescentou muito a investigação, já que disse ter ouvido apenas disparos de arma de fogo. Esse é o sétimo assassinato do ano em São José do Egito.





Cauê Rodrigues

0 comentários: