Mário Matins: Brasil marca na prorrogação, bate Espanha e é bicampeão

sábado, 7 de agosto de 2021

Brasil marca na prorrogação, bate Espanha e é bicampeão

 A Seleção Brasileira conseguiu o bicampeonato dos Jogos Olímpicos. A equipe comandada por André Jardine bateu a Espanha por 2 a 1, em jogo que acabou na prorrogação após empate em 1 a 1 no tempo normal.



Em jogo muito disputado, as seleções alternaram bons e maus momentos. Após um primeiro controlado pelo Brasil, a segunda etapa marcou um crescimento da Espanha, que por pouco não conseguiu a vitória no tempo normal.

Na prorrogação, o diferencial foi a entrada de Malcom, que deu volume ofensivo e conseguiu fazer o gol do título no início do segundo tempo da prorrogação.


O Jogo:

O primeiro tempo foi equilibrado em Yokohama. A Espanha começou marcando forte no campo de ataque, tirando a saída de bola da Seleção. No entanto, aos poucos, o Brasil foi melhorando.

O lateral-esquerdo Guilherme Arana cresceu no jogo e as melhores chances da Seleção passaram por ele. Aos 24 minutos, o lateral serviu Richarlison, que finalizou forte na rede do lado de fora.

Aos 35 minutos, é marcado pênalti para o Brasil após choque de Unai Simón em Matheus Cunha. Richarlison bateu com força, muito por cima do gol. Aos 46, no entanto, o gol do Brasil saiu.

Daniel Alves conseguiu tocar em uma bola cruzada da esquerda e serviu Matheus Cunha, que tirou a zaga espanhola do lance e finalizou sem chances para Simón. O Brasil terminou melhor a primeira etapa.

Foto: Thomas Peter / Reuters

Segundo tempo

A Seleção começou melhor a segunda etapa. Logo aos seis minutos, Richarlison acertou a trave em contra-ataque puxado por Matheus Cunha.

Depois do bom início, o Brasil passou a apostar nos contragolpes, chamando a Espanha para seu campo. Nesse contexto, a seleção espanhola empatou aos 14 minutos com Oyarzabal, em bonita finalização de voleio após cruzamento de Soler, que havia entrado na segunda etapa.


A Espanha seguiu dominando a posse de bola, embora não assustasse os brasileiros. A Seleção de Jardine baixou a intensidade e não conseguiu competir como na primeira etapa.

Aos 40 minutos, por pouco a Espanha não virou em cruzamento de Soler. A bola fez a curva e acertou a trave do goleiro Santos. Três minutos depois, a Espanha acertou a trave de novo, em finalização de longa distância de Bryan Gil. Sem conseguir pressionar no final, o Brasil acabou aceitando a prorrogação.





Terra

0 comentários: