Mário Matins: UM SERTANEJO E A VONTADE DE VOLTAR

sexta-feira, 5 de julho de 2019

UM SERTANEJO E A VONTADE DE VOLTAR

Por: Joel Gomes



No dia 03 de julho do corrente ano, andando pela cidade do Recife, olhei para o celular e nele havia uma mensagem de texto de um conterrâneo. Marcamos para tomarmos um café no Shopping Rio Mar (melhor para nós se ocorresse nos hotéis de Ingazeira ou Tuparetama – aquele café gostoso, coado no pano vindo diretamente da chaleira fervido no fogo de lenha).
Fitei o rosto desse amigo e percebi que o tempo lhe apresenta um semblante dos que já passaram por considerável percentual no plano terrestre, porém, a jovialidade intelectual e o compromisso de quem não poderá esquecer suas origens, reverbera cintilante nos seus miúdos olhos azulados.
Homem de farto saber jurídico eleitoral, foi Desembargador do TRE-PE e autor de fartas defesas de políticos em Ações promovidas pelo próprio poder judiciário, por representações do MPE/PE ou mesmo agremiações partidárias, que marcaram sua vida profissional na longínqua atuação como Advogado.
Assunto mais do que promissor e atualíssimo, o Doutor ROBERTO MORAIS, filho de Seu Zé Morais e de Dona Maria, ingazeirense nato, narra sua vida de criança na cidade-mãe do Pajeú como se os fatos tivessem ocorrido pela manhã. A vida cotidiana da sua terra natal lhe acrescenta nos olhos rasos viés de saudosismo. Olhando para a xícara de café enfatiza: “Eu não tenho nenhum bem na Ingazeira”. Imediatamente remenda: “Há não ser o maior, que é o sentimental”. Da profundeza da alma acrescenta que logo-logo adquirirá um “pedacinho de terra” para ter motivos e retornar sempre, na esperança de rever seus familiares, defendendo-os com maestria como se fosse arrimo de família de todos eles.
Simples, deixa percebermos que entre seus dedos existe uma marca peculiar de quem carrega consigo o vício de fumar constantemente. Apreciador de uma boa conversa e umas doses de whisky regado a um tira-gosto, demonstra que os verdadeiros pajeuzeiro poderão alcançar qualquer posto hierárquico nos mais diversos escalonamento de poderes e, jamais esquecerão suas origens ou desprezarão seus passados.
Doutor Roberto Morais não é apenas mais um sertanejo. É um pajeuzeiro valente que defende a nossa gente e nossas raízes.






Blog do Finfa

0 comentários: