Mário Matins: Caso Marielle Franco: PM e ex-PM são presos suspeitos do assassinato

terça-feira, 12 de março de 2019

Caso Marielle Franco: PM e ex-PM são presos suspeitos do assassinato





  • 1
Veadora carioca Marielle Franco foi assassinada na última semana. Foto: Renan Olaz/CMRJ
Foto: Renan Olaz/CMRJ

Em uma operação conjunta do Ministério Público e da Polícia
Civil do Rio de janeirodois homens foram presos nesta
terça-feira (12) sob suspeita de ter executado a vereadora do
Rio de Janeiro Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes
em 14 de março de 2018. As prisões ocorreram por volta de 4h,
com equipes reduzidas para não chamar atenção.
De acordo com o jornal “O Globo”, os mandados de prisão
preventiva foram executados contra o sargento reformado da
Polícia Militar Ronnie Lessa, de 48 anos, e Elcio Vieira de 
Queiroz, que foi expulso da Polícia Militar.
Ainda segundo o jornal carioca, Lessa foi preso em sua casa,
no condomínio Vivendas da Barra, na Barra da Tijuca – o mesmo
onde o presidente Jair Bolsonaro tem casa. O policial reformado
teria entrado para a lista de suspeitos após ser vítima de uma
emboscada um mês após o assassinato.
A prisão preventiva dos dois suspeitos foi determinada pelo juiz
substituto Guilherme Schilling Pollo Duarte, do 4º Tribunal do Júri.
Segundo a denúncia do Ministério Público, Lessa teria sido o autor
dos disparos que mataram Marielle e Gomes, e Queiroz,
o condutor do veículo usado no crime.
Conforme o MP, o crime teria sido “meticulosamente” planejado
com três meses de antecedência.

Execução

Marielle foi morta em 14 de março de 2018 por volta das 21h40,
quando voltava de um debate sobre racismo e cultura negra no
Brasil.
Ao menos dois carros seguiram a vereadora da porta do local do
debate, na Lapa, até o bairro do Estácio, também no centro.



Portal G1

0 comentários: