Mário Matins: AUDIÊNCIA PÚBLICA DISCUTE ALTO VALOR DA CONTRIBUIÇÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA

quarta-feira, 11 de abril de 2018

AUDIÊNCIA PÚBLICA DISCUTE ALTO VALOR DA CONTRIBUIÇÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA





Na noite de ontem aconteceu uma importante audiência pública para discutir sobre o alto valor da contribuição de iluminação pública, o evento aconteceu na câmara municipal e contou com as presenças de empresários, comerciantes e consumidores residenciais.
O advogado Dr. Célio Junior realizou uma apresentação das tabelas e fez uma comparação com a cobrança do tributo em Serra Talhada, em Afogados da Ingazeira são cobrados valores bem maiores que em Serra, Célio enfatizou que existem irregularidades como por exemplo o fato das contas de energia do Corpo de Bombeiros e de prédios públicos serem pagas com dinheiro da CIP.
A audiência pública foi articulada e organizada por Mário Martins e Fernando Moraes, que inclusive ingressou com uma ação popular contra a forma de cobrança e destinação dos recursos oriundos da CIP.
Foi de grande importância a presença do empresário Simplício Sà, que fez uma explanação da parte técnica, como negativo tivemos as ausências do governo municipal, poder judiciário e dos vereadores, apenas o presidente Igor justificou a ausência por motivo de viagem.
A audiência teve como mediador o contador Alexandre Maciel, que inclusive fez um desabafo sobre o atual código tributário, que pra ele veio para melhorar a arrecadação do município em detrimento da oneração dos munícipes.
O deputado Edilson Silva (PSOL) enviou o assessor Gilberto Borges para lhe representar, que por sua vez falou a importância da audiência e da participação da população no controle social da destinação dos recursos públicos.
Glauco Queiroz presidente da CDL, expressou o sentimento dos comerciantes, que estão muito sacrificados pelo auto valor da CIP, ficou impressionado com a diferença entre Afogados e Serra Talhada, disse que fica difícil a competitividade pois enquanto em Serra o valor da CIP não é tão alto, em Afogados é alta e prejudica muito a categoria.
Ao final da audiência, foi formada uma comissão que irá dar continuidade ao movimento contra o valor da CIP, podendo haver reuniões com vereadores e governo municipal com o intuito de baixar a alíquota da CIP, se nada for resolvido a comissão inciará um projeto de lei de iniciativa popular que será apresentado na Câmara municipal.  

0 comentários: