Mário Matins: Agricultores do Sertão do Pajeú receberão Casas com Ecodignidade nesta sexta (06)

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Agricultores do Sertão do Pajeú receberão Casas com Ecodignidade nesta sexta (06)

assinatura_email_1

Será nesta sexta-feira (06) que dez famílias do município de Afogados da Ingazeira, distante 380 quilômetros do Recife, no Sertão do Pajeú, terão suas vidas transformadas. Elas receberão casas equipadas com biodigestor, cisterna de primeira água, banheiro redondo, equipamento para o reuso de água e acessibilidade para cadeirantes. A Diaconia está à frente da iniciativa, com o apoio do Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR), Fundo Socioambiental Caixa e da Prefeitura de Afogados da Ingazeira. A solenidade de entrega está marcada para às 8h, na comunidade Sítio Lajedo, área rural do município.

A iniciativa faz parte do projeto Moradia com Ecodignidade, cujo objetivo é garantir acesso a casas sustentáveis para famílias em situação de vulnerabilidade social. Essas famílias foram escolhidas pela precariedade de suas habitações a partir de um trabalho de Agroecologia desenvolvido pela Diaconia em Afogados da Ingazeira.

Quando a agricultora Damiana Juliana, de 24 anos, ocupar sua nova moradia, ela vai encontrar um ambiente totalmente adaptado para a convivência com a seca. A casa conta com uma cisterna, cuja capacidade de armazenagem é de 16 mil litros de água para consumo humano. Para cozinhar, Damiana não precisará mais comprar gás no mercado ou queimar lenha.

O Biodigestor será o responsável pelo fornecimento do gás para cozinhar os alimentos agroecológicos cultivados pela agricultora. Além do gás, o equipamento produz biofertilizantes. Tudo a partir de esterco animal, gerando economia e contribuindo com o Meio Ambiente. 

O banheiro também é diferenciado. É redondo e mede dois metros para proporcionar a acessibilidade. A água utilizada nele, assim como na pia e lavador - chamada água cinza -, será canalizada para um filtro com areia e pedra e despejada em um tanque, de onde pode seguir para aguar as plantas do jardim. A ideia é incentivar a plantação de mudas adaptáveis à sombra e, como consequência, a multiplicação do verde, e de fruteiras, como o umbuzeiro, que é da região, e o pé de seriguela, ambos com boa convivência na seca. Por enquanto, o líquido não deverá ser utilizado em hortaliças até que sejam divulgados resultados de pesquisa apontando para essa viabilidade.

Além das moradias, a Diaconia oferecerá às famílias ações voltadas para as áreas de educação sanitária, saúde, meio ambiente, cidadania, justiça de gênero e violência contra a mulher, defesa dos direitos da criança e do adolescente, empreendimento, educação patrimonial, geração de renda e noções de como fazer o seu planejamento familiar.

Casas Sustentáveis - O imóvel tem 47,4 metros quadrados de área construída. Custa em torno de R$ 31 mil. O projeto da casa prevê acessibilidade para pessoas cadeirantes - com rampas, além de portas mais largas - reutilização de água, cisterna para captação da chuva e produção de gás própria a partir de um biodigestor alimentado por fezes de caprinos, suínos, ovinos e bovinos. Ao todo, dez casas serão entregues em Afogados da Ingazeira. Sete casas foram erguidas no Sítio Lajedo e comunidades vizinhas, duas no Sítio Santo Antônio II e uma no Sítio Baixio.

Diaconia - Uma organização social brasileira, de inspiração cristã e sem fins lucrativos, que tem por objetivo a promoção da justiça e do desenvolvimento social. A Ong atua em quatro campos: Segurança Alimentar, Nutricional e Hídrica; Meio Ambiente e Clima; Justiça de Gênero e Direitos das Juventudes, desenvolvendo e aplicando tecnologias sociais nos sertões, além de promover e apoiar a justiça de gênero e direitos das juventudes nas regiões metropolitanas. A Sede é no Recife, mas a instituição também atua no Sertão do Pajeú (PE), Oeste Potiguar (RN) e Região Metropolitana de Fortaleza (CE).


Famílias beneficiadas

Alessandra Morato da Silva, 31 anos
Esta família mora em uma casa cedida por um antigo vizinho. Ela tem 03 filhos e mora também com seu esposo, Luiz, de 28 anos. A renda principal da família vem de programas sociais. A nova casa foi construída em um terreno doado pelo sogro de Alessandra que fica bem próximo de onde já residem.  

Ana Cristina Ramos dos Santos, 26 anos
Esta família mora hoje na casa do sogro dela. Alex é o esposo de Ana Cristina. A renda do casal é a do Bolsa Família e de uns dias que trabalha de faxineira em casa de família. O local que vão construir a casa é parte de um terreno cedido pelo sogro.

Cícera Cordeiro Ramos, 50 anos
Esta família mora em uma pequena casa de taipa onde a situação é bem precária. Sem emprego, ela e o esposo sustentam a casa com a renda do Bolsa Família e de algum trabalho de alugado no campo em terrenos de terceiros. 

Damiana Juliana de Oliveira Gouveia, 23 anos
Esta família mora hoje em uma casa de taipa, pois antes morava junto o pai, a mãe, a filha e seu esposo. Assim que engravidou, seu pai lhe cedeu um pedaço de terra muito pequeno. Mesmo com todas as dificuldades conseguiram construir sua própria casa, algo muito simples.

Iraneide Maria de Oliveira, 30 anos
Atualmente, esta família mora na casa do sogro. A nova casa foi construída em um terreno que os mesmos já haviam comprado, mas não tinham como construir. Estão desempregados e Iraneide atualmente só tem acesso ao programa Bolsa Família (renda).



José Mendes Filho, 42 anos
Esta família mora na casa atualmente do pai de José Mendes junto de seus três filhos que é o mesmo que cuida. A casa da família foi construída em um terreno cedido pelo pai dele. José Mendes hoje está desempregado e recebe apenas o Bolsa Família.   

Maria Aparecida Sirino da Silva, 21 anos
Esta família mora na casa cedida pela sogra de Maria Aparecida, junto com seu esposo e sua filha de 03 anos. A casa dela foi construída em outro terreno cedido também pela sogra que fica na mesma comunidade.   
Maria Fabiana do Nascimento Ramos, 28 anos
Esta família mora na casa cedida pela cunhada de Fabiana que tem dois filhos. Não trabalha fora de casa, recebe apenas a Bolsa família e uma quantia dos pais das crianças. A casa foi construída em um pequeno terreno cedido pelo seu tio no mesmo Sitio em que já mora.

Raimunda de Lima Silva, 46 anos
Esta família mora na casa cedida pelo cunhado de Raimunda que mora com dois filhos. É divorciada e tem todas as responsabilidades de sua família. A casa dela foi construída em um terreno de herança que seu pai deixou.

Vandeilma Bezerra, 19 anos
Esta família mora na casa cedida por um vizinho. A jovem tem três filhos. Samuel, seu esposo, está desempregado. Eles contam com a ajuda do Bolsa Família. Sua filha tem um problema de saúde e precisa de acompanhamento médico. A pouco tempo passou por um processo cirúrgico aumentando mais as necessidades.

0 comentários: