Mário Matins: DUAS GESTANTES PERDEM OS BEBÊS POR FALTA DE ESPECIALISTAS NO HOSPITAL EMÍLIA CÂMARA

domingo, 27 de março de 2016

DUAS GESTANTES PERDEM OS BEBÊS POR FALTA DE ESPECIALISTAS NO HOSPITAL EMÍLIA CÂMARA



Realmente a coisa está cada vez pior no Hospital Emília Câmara, a falta de estrutura e de profissionais contribuíram para que duas gestantes perdessem seus bebês em plena sexta feira santa.
A jovem Cristiane da Silva Nascimento de 28 anos, moradora do residencial Laura Ramos, sentindo dores deslocou-se ao HR na quarta-feira, foi avaliada por um médico e este disse que ela daria a luz provavelmente no dia 21, a gestante voltou pra casa e na madrugada da sexta-feira santa retornou ao hospital sentindo muitas dores, deram-lhe os toques e nada de evoluir para parto normal, no hospital não havia obstetra naquele dia e Cristiane ficou da 2 da manhã até próximo das 13 horas, quando foi transferida para Arcoverde.AO chegar em Arcoverde sua filhinha EVLS já estava morta e por pouco a vida da mãe não foi também perdida.
Cristiane informou que uma gestante de Iguaracy também foi transferida para Arcoverde e depois para Recife, porém a criança também morreu.
É um absurdo o descaso com que nossas gestantes estão sendo tratadas, reluta-se tanto em fazer parto cesariana, insistindo em fazerem parto normal e as crianças vão morrendo e nada é feito, ninguém é punido.

3 comentários:

Marcia Cristina Xavier Moura disse...

E um descaso total uma cidade como afogados existir apenas uma anestesista sendo q a mesma nem aqui mora. Gestante nenhuma aqui em afogados e tratada com humanidade com respeito depois que atravessar aquela porta do centro cirúrgico só Jesus ter um filho aqui em afogados virou um desafio a própria sorte

flavia almeida disse...

Em uma das ultimas entrevistas q a diretora do hospital falou aos ouvintes na radio Pajeú tentando justificar o caso do senhorzinho q faleceu depois de mendigar atendimento no hospital e casa de saúde sem sucesso, ela disse q falta de médicos são casos esporádicos o q mostra agora depois destes absurdos aqui narrados q se trata na vdd de caso de polícia.

Ana Paula lima veras disse...

Realmente é desumano, uma mãe esperar nove meses por seu bebê, sofrer, enfrentar dificuldades, depositar todo amor do mundo e no entanto ao envez de levar seu filho vivo para casa, levalo em um caixão. Onde estão os direitos humanos? Estou grávida e não quero nem de longe colocar os pés naquele hospital, ou melhor, matadouro!