Mário Matins: Afogados // Vereadores de oposição acusam governo Patriota de desrespeitar o Legislativo

quarta-feira, 23 de dezembro de 2015

Afogados // Vereadores de oposição acusam governo Patriota de desrespeitar o Legislativo

Afogados // Vereadores de oposição acusam governo Patriota de desrespeitar o Legislativo

Ontem no Debate das Dez os vereadores de oposição Antonieta Guimarães, Renon de Ninô e Vicentinho Zuza, fizeram uma avaliação de 2015 e falaram sobre as perspectivas para o próximo ano, que promete ser movimentado com as eleições municipais.
Vicentinho que está no terceiro mandato legislativo, disse que durante esse tempo nunca viu tanta falta de respeito com a Câmara Legislativa como viu este ano. “A gente faz tantas perguntas, temos questionamentos de pessoas que nos fazem e a gente não sabe responder por que o governo esconde tudo, quando é interessante pra ele, ai mostra”.
Vicentinho descordou da fala de Igor Mariano, que disse em debate anterior que o Executivo responde a muitos requerimentos feitos pelos vereadores. Segundo Vicentinho o executivo só responde o que lhe é interessante e disse que responde “salteado”.
Falando sobre os requerimentos que não foram atendidos, Vicentinho destacou o requerimento que foi protocolado no dia 26 de agosto de 2015, onde pede informações sobre quem está ocupando alguns cargos dentro do município, como: secretários, secretários adjuntos e diretores, ele justificou o requerimento, dizendo que os vereadores são constantemente questionados por que com tanta gente capacitada dentro do município, a prefeitura traz pessoas de fora para ocupar alguns destes cargos. “Ai eu falo, isso ai a gente não pode falar sem ter a resposta concreta do Executivo, mas infelizmente, isso ai ao invés de terem uma pessoa pra responder, tem um caixa de papelão que guarda lá, lacra e não responde e não tem interesse em responder”, disse Vicentinho.
Outra cobrança do vereador é em relação a quantidade de carros-pipa que tem atendido o município. “Hoje Afogados está com quatro caminhões trabalhando na Operação Pipa, isso ai não é uma despesa que vem do município, quem tem essa despesa é o governo federal através do Exército Brasileiro, até pra isso a gente teve dificuldades em resolver”. reclamou Vicentinho.
Outra questão destacada pelo vereador foi a em relação dos poços perfurados, ele disse que as máquinas do Cimpajeú estiveram na cidade perfurando poços e questionou: “Quem foram os beneficiados com isso?” e disse que o Cimpajeú deveria fiscalizar como a perfuratriz está sendo usada.
Vicentinho também disse que por falta de provas, não iria falar sobre denúncias que recebera, mas afirmou: “A gente sabe de perfuração de poços que não era pra ter sido feita, em terreno de gente particular, infelizmente o camarada que me mostrou não tiou uma foto da máquina fazendo o serviço”.
Vicentinho também acusou o prefeito José Patriota de estar “passando por cima da Lei Orgânica” do município e se disse surpreso já que o próprio Patriota quando vereador ajudou a criá-la.
O vereador Renon Ninô, concordou com Vicentinho no ponto dos requerimentos não atendidos e disse que havia falado sobre isso em debate anterior. Ele também disse que está havendo desrespeito com a Câmara por parte do governo municipal. “Ele tem quinze dias pra responder, se ele não tem tempo pra isso, então tem que colocar uma alguém pra que possa encaminhar esses requerimentos à pessoa certa, para que sejam respondidos, é uma lei, quando ele foi assumir o mandato de prefeito, ele jurou que iria seguir as leis, mas infelizmente ele não está cumprindo”, disse Renon.
A veradora Antonieta Guimarães disse considerar o ano para a bancada de oposição como positivo, mas que em relação ao executivo, ela concorda com Renon e Vicentinho de que foi negativo. “Todo mundo sabe que o papel do vereador é legislar em favor do povo e entre essas coisas estão as solicitações, durante este ano nós fizemos um total de 178 requerimentos, sendo que 88 foram endereçados ao executivo, desses apenas 24 foram respondidos”, informou Antonieta.
Antonieta também considerou falta de respeito a falta de respostas do executivo e assim como Renon, também lembrou que o prazo para responder e de quinze dias, pela Lei Orgânica do Município.
“Ele não tem nenhum respeito por nós e quando a gente vê que a tônica da administração pública hoje tem que ser a transparência verdadeira, não está acontecendo aqui no nosso município”, disse Antonieta.
Antonieta informou que no dia 15 de dezembro deste ano, protocolaram no Ministério Público os requerimentos, pedindo ao MP para que tome providências em relação as respostas”.



Nil Junior

0 comentários: