Mário Matins

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

MORADORES DENUNCIAM FOCO DO MOSQUITO TRANSMISSOR DA DENGUE




Moradores pedem providências para resolver problema com água parada que está causando problemas para os moradores, pois existe foco do mosquito transmissor da dengue. O problema está localizado na trav. 2 Berta Celi, Sobreira ao lado da casa n 79. Uma moradora informou que seu filho está doente e que já o levou para o hospital algumas vezes por conta de dengue.



quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Paredes do Canal da Transposição cedem e água vaza em Cabrobó


enquete045







Uma parte da parede no Eixo Norte do Canal de Transposição do Rio São Francisco em Cabrobó está cedendo e a água represada para teste da obra está vazando. O desperdício é motivo de lamento de agricultores que aguardam a liberação da água do canal. A informação é do G1.
Segundo os moradores esta não é a primeira vez que há problemas na construção que já dura cerca de oito anos. “É a quarta vez que acontece isso aí. Tem uns cinco meses que teve um problema e vem se repetindo”, disse o agricultor, Nilson José da Silva.
A obra da transposição foi idealizada para beneficiar 12 milhões de pessoas que convivem com a seca. O canal também deverá beneficiar quase 400 municípios de quatro estados do Nordeste. A obra, organizada em dois eixos de transferência, Norte e Leste, estava orçada inicialmente em R$ 4.5 bilhões e deveria ficar pronta em 2014. Mas, com o adiamento da obra, um novo prazo foi estipulado e o valor foi elevado para cerca de R$ 8,2 bilhões.
Além da parte já comprometida, outros pontos do canal já apresentam risco de mais problemas e a estrutura já indica que poderá não resistir à pressão da água. A tristeza em ver a água do Rio São Francisco ir embora está nas palavras do agricultor Eduardo Gonçalves. Ele lamenta ver que a água, que poderia estar sendo utilizada para seu plantio, seja desperdiçada. “A gente precisa de água no riacho grande para trabalhar. Uma água medida para todo mundo trabalhar e isso está sendo muito difícil”, disse.
O agricultor Nilson José da Silva até sonha com a finalização do canal. Mas o vazamento o deixou preocupado. “A gente queria (a transposição) de outra maneira, mas nessa situação aí fica difícil. Vai atrasar tudo”, ressaltou o agricultor Nilson.
A parte do canal onde está com o vazamento fica entre a barragem de Tucutu e o município de Terra Nova. A primeira estação do Eixo Norte da Transposição em Cabrobó foi entregue pelo governo federal no dia 20 de agosto de 2015. Na ocasião a primeira estação foi acionada pela presidente Dilma Rousseff.

Em nota, o Ministério da Integração Nacional afirmou que a situação tem sido acompanhada de perto e que o vazamento já foi reduzido. Mas a inspeção do local e a análise da causa do vazamento, só serão feitas depois da contenção da água e com o canal seco.


Nil Junior

AFOGADOS DESPEDE-SE DE PAULO ACIOLY


Foi sepultado na manhã de hoje o servidor público Paulo Acioly, irmão do Monsenhor João Carlos, o corpo de Paulo foi velado na loja maçônica Arquitetos da Paz, de lá o cortejo seguiu até o cemitério Parque da Saudade.
Paulo tinha três filhos: a bioquímica Leonila Acioly, o contador Petrônio Acioly e o funcionário da Rádio Pajeú, Paulinho Acioly. Era irmão do Mons. João Acioly (Vigário Geral da Diocese), da Secretária Adjunta de Educação Maria José Acioly, do músico e servidor Reginaldo Acioly , de Neuza Acioly, servidora pública e Tadeu Acioly, já falecido.


A HISTÓRIA DO CARNAVAL- POR GONZAGA PATRIOTA





Em agradecimento aos deuses pelas chuvas e fertilidade do solo que lhes davam os produtos alimentícios oriundos da terra, os gregos realizavam seus cultos que originaram o carnaval, 600 anos a.C. Essa comemoração somente passou a ser adotada pela Igreja Católica em 590 depois de Cristo. Durante o período do carnaval havia uma grande concentração de festejos populares. Cada cidade brincava a seu modo, de acordo com seus costumes. Essa festa carnavalesca a partir da implantação, no século XI, da Semana Santa pela Igreja Católica, antecedida por quarenta dias de jejum, a Quaresma. Esse longo período de privações acabaria por incentivar a reunião de diversas festividades nos dias que antecediam a Quarta-feira de Cinzas, o primeiro dia da Quaresma. A palavra “carnaval” está, desse modo, relacionada com a ideia de deleite dos prazeres da carne, marcado pela expressão “carnis valles”, que, acabou por formar a palavra “carnaval”, sendo que “carnis” em latim significa carne e “valles” significa prazeres. 
O carnaval moderno, feito de desfiles e fantasias, é produto da sociedade vitoriana do século XIX. A cidade de Paris foi o principal modelo exportador da festa carnavalesca para o mundo, inspirando essa cultura para cidades como Nice, Nova Orlean, Toronto e a nossa Capital do samba, o Rio de Janeiro, que criou e exportou o estilo de fazer carnaval com desfiles de escolas de samba para outras importantes cidades do mundo, como Tóquio e Helsinque, capital da Filândia, além da nossa São Paulo, hoje sua concorrente nos grandes desfiles. Em geral, o carnaval tem a duração de três dias, os dias que antecedem a Quarta–feira de Cinzas. Em contraste com a Quaresma, tempo de penitência e privação. Estes dias são chamados “gordos”, em especial a terça-feira (terça-feira gorda). O carnaval da Antiguidade era marcado por grandes festas, onde se comia, bebia e participava de alegres celebrações e busca incessanta dos prazeres. O Carnaval prolongava-se por sete dias, de 17 a 23 de dezembro, nas ruas, praças e casas da Antiga Roma. 
 O entrudo está na origem do português, onde, no passado, as pessoas jogavam umas nas outras, água, ovos e farinha. O entrudo acontecia num período anterior à quaresma e, portanto, tinha um significado ligado à liberdade. Este sentido permanece até os dias de hoje no Carnaval. O entrudo chegou ao Brasil por volta do século XVII e foi influenciado pelas festas carnavalescas que aconteciam na Europa. Em países como Itália e França, o carnaval ocorria em formas de desfiles urbanos, onde os carnavalescos usavam máscaras e fantasias. Personagens como a colombina, o pierrô e o Rei Momo também foram incorporados ao carnaval brasileiro, embora sejam de origem europeia. 
No Brasil, o primeiro carnaval surgiu em 1641, promovido pelo governador Salvador Correia de Sá e Benevides, em homenagem ao rei Dom João IV, restaurador do trono de Portugal, mas, somente no final do século XIX é que começam a aparecer os primeiros blocos carnavalescos, cordões e os famosos “corsos”. Estes últimos tornaram-se mais populares no começo do século XX. As pessoas se fantasiavam, decoravam seus carros e, em grupos, desfilavam pelas ruas das cidades. Está ai a origem dos carros alegóricos, típicos das escolas de samba atuais. No século XX, o carnaval foi crescendo e tornando-se cada vez mais uma festa popular. Esse crescimento ocorreu com a ajuda das marchinhas carnavalescas. As músicas deixavam o carnaval cada vez mais animado. A primeira escola de samba surgiu no Rio de Janeiro e chamava-se Deixa Falar, criada pelo sambista carioca Ismael Silva. Deixa Falar transformou-se depois na escola de samba Estácio de Sá. A partir dai o carnaval de rua começa a ganhar um novo formato, com o surgimento de novas escolas de samba no Rio de Janeiro e em São Paulo. Organizadas em Ligas de Escolas de Samba, começam os primeiros campeonatos para verificar qual escola de samba era mais bonita e animada. O carnaval do Rio de Janeiro está no Guinness Book como o melhor carnaval do mundo e Galo da Madrugada, do Recife, o maior bloco de carnaval  do mundo, também no Guinness. 
 O carnaval de rua manteve suas tradições originais na região Nordeste do Brasil. Em cidades como Recife e Olinda, as pessoas saem às ruas durante o carnaval no ritmo do frevo e do maracatu. Os desfiles de bonecos gigantes, em Olinda e Recife, são uma das principais atrações dessas cidades durante o carnaval. Já em Salvador, também no Nordeste, existem os trios elétricos, embalados por músicas dançantes de cantores e grupos típicos da região. Na cidade destacam-se também os blocos negros como o Olodum e o Ileyaê, além dos blocos de rua e do Afoxé Filhos de Gandhi. Em que pese não ser mais uma festa popular como era no século XIX, que envolvia mais da metade da população do país na folia, hoje envolvendo menos de 10% dos brasileiros, o carnaval no Brasil ainda é considerado um dos melhores do mundo, seja pelos turistas estrangeiros, como por boa parte dos brasileiros, principalmente o público jovem que não alcançou a glória do carnaval verdadeiramente popular. 
 O carnaval de hoje é de desfile, carnaval assistido, paga-se para ver. O carnaval, digamos, do início do século XX era compartilhado, dançado, pulado, gritado, catucado, quando se usava fantasias e máscaras, em todo o Brasil, isso ficou nos anos setenta. Agora não tem mais nada disso. O confete e a serpentina jogados pelos ocupantes dos carros alegóricos. O lança-perfume também era usado em profusão, enquanto a confraternização com os pedestres se ampliava não só através dos jatos de lança-perfume — o que abria caminho para conhecimentos mais íntimos, beijocas, namoricos e mais coisas, etc. 
 Com a oficialização dos desfiles carnavalescos, a partir de 1935, as escolas de samba do Rio de janeiro passam a receber subsídios da prefeitura da capital carioca, transformando-se, a partir de 1952, em sociedades civis, com regulamento e diretoria. Até 1935, quando foi organizado o primeiro desfile, as escolas de samba do Rio de Janeiro se limitavam a percorrer livremente as ruas da Capital. Esse modelo se estendeu a quase todas as capitais brasileiras, excetuando-se duas: Salvador na Bahia, que contagia outros estados e cidades, com seus belíssimos trios elétricos equipados com poderosos alto-falantes que reproduzem continuamente as composições carnavalescas gravadas e o conjunto Recife/Olinda, em Pernambuco. O carnaval nessas duas cidades pernambucanas é um dos mais animados do país, e essa característica cresceu paralelamente à extinção do carnaval de rua na maior parte das cidades brasileiras, por causa dos desfiles das escolas de samba. As principais atrações do carnaval pernambucano — cujos bailes também são os mais animados — são, na rua, o frevo, agora patrimônio da humanidade, o maracatu, as agremiações de caboclinhos, a imensa participação popular nos blocos (reminiscências modernizadas dos antigos “cordões”) e os clubes de frevo. Em Recife e Olinda os foliões cantam e dançam, às vezes mesmo sem uniformes ou fantasias, só ao som das orquestras e bandas que fazem a festa. Os conjuntos de frevo mais animados são os: Vassourinhas, Toureiros, Lenhadores dentre outros, sem contar com o Galo da Madrugada, o maior bloco carnavalesco do mundo. 
Muitas outras cidades pernambucanas promovem seus carnavais á sua moda. Bezerros, com os tradicionais papangús. Arcoverde com o seu carnaval moderno, organizado e à moda carioca. Sertânia e Afogados da Ingazeira, com as virgens e blocos de ruas à moda antiga. Triunfo com os caretas. Salgueiro o melhor carnaval do sertão, também à moda antiga, com carros alegóricos, blocos fantasiados e a bicharada do Mestre Jaime, com seus quase 100 anos de idade, ainda desfilando pelas principais ruas da Encruzilhada do Progresso. Belém do São Francisco, cidade que inventou os bonecos gigantes, adotados depois por Olinda e Recife, dentre muitas outras. 
Gonzaga Patriota é Contador, Advogado, Administrador de Empresas e jornalista. Pós-graduado em Ciência Política e Mestre em Ciência Política e Políticas Públicas e Governo e Doutor em Direito Civil, pela Universidade Federal de Buenos Aires – Argentina. É Deputado desde 1982. 

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Agricultor faz apelo para conseguir bolsa e materiais escolares dos filhos; mãe abandonou filha e vendeu o outro por R$ 50


Apesar das dificuldades, ele consegue trabalhar e garantir o alimento

 das crianças que foram abandonadas pela mãe. Confira!

A reportagem do Portal Diário do Sertão, visitou na manhã da
 quinta-feira (04)a casa do agricultor Francisco 
Rodrigues da Silva, morador do sítio Carnaúba, 
zona rural de Sousa, no Sertão da Paraíba.


O agricultor é separado da esposa e mora em uma casa de taipa onde cuida
sozinho dos dois filhos, Manoel de seis anos e Luzia Cristina, de nove anos.
Apesar das dificuldades, ele consegue trabalhar e garantir o alimento
das crianças que há cerca de quatro anos foram abandonadas pela 
própria mãe.​ "Ela abandonou a menina e vendeu o filho por R$ 50, 
e eu fui para justiça pegá-lo de volta", disse o agricultor.

Em entrevista à nossa reportagem, o agricultor revelou que não tem condições
financeiras para comprar o material escolar dos filhos. As crianças
disseram que gostariam de ganhar uma bolsa, lápis, caderno para
o inicio das aulas que começam na próxima semana.

Os brinquedos
Como não tem brinquedo, Manoel pegou uma caixa de plástico e colocou
tijolos dentro e amarrou uma corda para puxar como se fosse um carro.
Já Luzia, não possui nenhum brinquedo, mas afirmou que deseja ganhar
uma boneca.
Ajude
As doações podem ser entregues na sede do SAMU e Corpo de
Bombeiros na cidade de Sousa. Quem mora em Cajazeiras, pode
deixar as doações na Sede do Portal Diário do Sertão.

Para mais informações, entrem em contato com nossa equipe através
dos seguintes telefones:
(83) 9-8153-1161 (vivo), (83) 9-9167-1283 (claro) ou pelo WhatsApp
(83) 9-9196-7414

DIÁRIO DO SERTÃO

BLOCOS ANIMAM CARNAVAL DE AFOGADOS












A segunda-feira de Carnaval em Afogados da Ingazeira foi uma verdadeira festa. O tradicional bloco Tô na Folia desceu a Avenida Rio Branco pelo 16º ano. O bloco foi animado pela orquestra do Maestro Lira Neto.

A concentração para o bloco foi na casa do Ex-Prefeito Totonho Valadares. O Prefeito José Patriota esteve acompanhado da primeira-dama Madalena Leite, vereadores e secretários do governo municipal. Na avenida, o diferencial ficou por conta dos bonecos gigantes que representavam Totonho e Patriota.

O bloco do Mela-Mela, da Rua Nova, desfilou pela primeira vez em Afogados da Ingazeira, estreando em nosso carnaval. Outra boa novidade foi o “Afobeat”, idealizado e organizado pelo Poeta e Jornalista Alexandre Moraes, e pelo radialista Wellington Rocha. Eles também foram às ruas pela primeira vez no Carnaval de Afogados.

"A cada ano o Carnaval de Afogados se consolida como um dos melhores e mais animados do interior de Pernambuco. Na paz, na tranquilidade, com presença das famílias nas ruas, das crianças fantasiadas, e com o diferencial que é a figura do nosso tabaqueiro, personagem único de nossa folia," avaliou o Prefeito José Patriota.  

-- 
Prefeitura de Afogados da Ingazeira
Núcleo de Comunicação Social

CRIANÇAS DÃO MAIS BRILHO E COLORIDO AO CARNAVAL DE AFOGADOS












As crianças fizeram a festa no desfile de fantasias infantis organizado pela Prefeitura de Afogados da Ingazeira. Participaram crianças em duas diferentes categorias, de acordo com a idade: 0 a 6 anos, e de 7 a 12 anos. O desfile aconteceu na Praça de Alimentação, que no carnaval se transforma no Quartel General do Frevo, com as presenças do Prefeito José Patriota, e da primeira-dama, Madalena Leite.

Os pequeninos esbanjaram charme e irreverência mostrando a todos que o Carnaval de Afogados é para todas as idades. As juradas - Nívea Victória Galindo, Marcele Veras (Loja Casual Modas) e Jailma Alcântara (Center Magazine) tiveram uma difícil missão para escolher as melhores fantasias.

Confiram os(as) vencedores(as):

Categoria de 0 a 6 anos:
1° lugar levou R$300,00 - Davi Lucas (ursinho pooh)
2° lugar levou R$ 200,00 - Michael e Alice (Lampião e Maria Bonita)
3° Lugar levou R$ 100,00 - Arthur Brito (Bob Esponja)

Categoria de 7 a 12 anos:
1° lugar levou R$ 300,00 - Bianca Gabriely (Rainha de Bateria)
2° lugar levou R$ 200,00 - Matheus e Neto Brito (Sub Zero e Snook Zoo)
3° lugar levou R$ 100,00 - Carla Gomes (Electra)

Após o desfile os foliões dançaram muito frevo ao som da Orquestra Show de Frevo.

Mais cedo – a agenda do Prefeito foi extensa. Logo pela manhã ele prestigiou a já tradicional partida de futebol disputada pelas Virgens do Sobreira, no campo de futebol do bairro. No final da tarde, ele acompanhou a descida de blocos que integram a programação oficial do Carnaval de Afogados, a exemplo do Cazá, Cazá. 

--
Prefeitura de Afogados da Ingazeira
Núcleo de Comunicação Social

JOVEM QUE ESTAVA DESAPARECIDA ESTAVA NA CASA DE AMIGA




A jovem Tayllanny Andressa de Araújo, 18 anos, de Afogados da Ingazeira-PE que estava desaparecida, foi encontrada na casa de uma amiga, na Cohab, Afogados da Ingazeira. 
A família agradece aos amigos e blogueiros que ajudaram.

JOVEM DESAPARECIDA EM AFOGADOS DA INNGAZEIRA





A jovem Tayllanny Andressa de Araújo, 18 anos, de Afogados da Ingazeira-PE encontra-se desaparecida. Ela é neta de seu Zé Leite (Correios) e usa óculos de grau. A família está muito apreensiva! O último contato feito com a jovem foi ontem às 14h.
Qualquer informação entrem em contato com (87)999302603

Afogados: morre Paulo Acioly


IMG-20160209-WA0009Faleceu esta madrugada em Recife o servidor público Paulo Acioly, 65 anos. Ele faleceu em virtude  de complicações renais e hepáticas no Hospital do Servidor, em Recife.  Casado com a professora Socorro Acioly, era servidor do Hospital Regional Emília Câmara.
Mas é lembrado também como gerente da antiga sede das Casas Jurandir Pires, em  Afogados da Ingazeira e um dos fundadores da Loja Maçônica Arquitetos da Paz.
Tinha três filhos: a bioquímica Leonila Acioly, o contador Petrônio Acioly e o funcionário da Rádio Pajeú, Paulinho Acioly. Era irmão do Mons. João Acioly (Vigário Geral da Diocese), da Secretária Adjunta de Educação Maria José Acioly, do músico e servidor Reginaldo Acioly , de Neuza Acioly, servidora pública e Tadeu Acioly, já falecido.

Segundo o Monsenhor João Acioly, o corpo deverá chegar esta tarde a Afogados, com o sepultamento programado para a manhã desta quarta-feira de cinzas, no Cemitério Parque da Saudade. O velório acontecerá na Rua Simão Alves, próximo ao Centro Desportivo.



Nil Junior

A vida imitará a arte ? Bonecos gigantes de Totonho e Patriota juntos no carnaval


IMG-20160208-WA0017
IMG-20160208-WA0018
Em Afogados da Ingazeira, o tradicional desfile do Tô na Folia arrastou como de praxe um grande número de foliões pelas ruas de Afogados da Ingazeira. Atração da festa, Maestro Lima Neto e banda deram um grande show pela Avenida Rio Branco.
A novidade da descida do bloco este ano foi o surgimento de um segundo boneco gigante para acompanhar o “Totonho de Olinda”, boneco do ex-prefeito Totonho Valadares. O “Patriota Gigante”, reproduzindo o prefeito de Afogados da Ingazeira, José Patriota também circulou pelas ruas no trajeto do desfile.

 Claro, a participação dos bonecos gigantes suscitou o debate eleitoral. A dúvida neste caso é se a arte imitará a vida. Nos bastidores, há dúvidas alimentadas sobre a condução que Totonho Valadares terá no processo eleitoral deste ano: se de apoio ao prefeito e candidato a reeleição ou vôo independente.



Nil Junior

Grave acidente deixa 4 mortos na BR-232. Duas vítimas são de S. Talhada



Carro do casal pegou fogo e os dois morreram carbonizados no local do acidente, em Flores (Foto: reprodução/Facebook)
Um casal de namorados do município de Custódia  Keila Siqueira e Eduardo Feitoza, morreu carbonizado no acidente ocorrido na BR-232 na noite do domingo (7) em Flores, no Sertão de Pernambuco. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), eles estavam em um carro quando o homem perdeu o controle do veículo em uma curva - no quilômetro 352 da rodovia - e colidiu em uma van. O carro do casal pegou fogo e os dois morreram no local, segundo a PRF.
Leia também:


Duas mulheres que estavam na van também vieram a óbito, conforme informou a polícia. "Outras duas pessoas da van tiveram ferimentos leves. Uma delas foi levada para um hospital de Custódia e outra para uma unidade de saúde de Serra Talhada", disse o inspetor Cristiano Mendonça, do Núcleo de Comunicação da PRF.
O corpo das vítimas foram levados para o Hospital Regional Professor Agamenon Magalhães (Hospam), em Serra Talhada.

Das quatro pessoas que estavam na van, duas morreram e duas ficaram feridas (Foto: Divulgação/PRF)



Junior Campos